Agrião

Agrião o picante que faz bem!

Nome científico: Nasturtium officinalis

Parte usada: O vegetal inteiro

Propriedades terapêuticas: Depurativo, antiescorbútico, diurético, antidiabético, anti-raquitismo, expectorante, ungüento, cicatrizante

Princípios ativos: Iodo, potássio, fósforo, óleo, sais minerais, vitaminas, óleo essencial; glicosídeos, gliconastursídeo. Fermento (mirosina). Sais minerais, vitaminas, proteínas, carotenos, clorofila.

Indicações terapêuticas: Tuberculose, afecções pulmonares, tosse, bronquite

Origem: Europa, tendo se aclimatado bem no Brasil.
Características do agrião
Planta herbácea rasteira, chega a 60 cm. de altura. Exige solo poroso, estercado e com muita umidade. Erva de sabor picante, normalmente usada em saladas. Herbácea pequena, que atinge de 15 a 30 cm de altura. Possui caule tenro, oco, carnoso e nodoso, onde se apresentam 2 tipos de raízes: as finas e brancas que surgem nas axilas das folhas, e as principais que fixam a planta na terra.

Agrião o cultivoAs folhas de coloração verde-escuro, bem intenso, são partidas em segmentos nas formas arredondadas ou ovais e reunidas geralmente em grupos de 3 a 7u.As flores são brancas e pequenas, com quatro pétalas. Para um bom desenvolvimento, deve ser plantada em local de água corrente, como na beira de rios, ou colocando as sementes em caixotes, em local seco, e depois transplantadas as mudas para local definitivo. Pode-se utilizar também o plantio por meio de estacas. Geralmente é cultivada em canteiros, com o solo saturado de água por meio de irrigação, e cobertos por uma fina camada de esterco de curral. A colheita pode ser feita entre quarenta e sessenta dias após o plantio. É um vegetal recomendado pelo seu valor nutritivo, teor de vitaminas e ótimo paladar, com odor característico e sabor francamente amargo e picante. As folhas somente devem ser coletadas quando aparecem as flores.

Consumir agrião regularmente pode ajudar a diminuir as chances de desenvolver câncer!

Segundo uma pesquisa realizada na Irlanda do Norte, na Universidade de Ulster sugere que o agrião reduz o dano ao DNA de glóbulos brancos – considerados como um importante fator que pode desencadear o desenvolvimento do câncer. O agrião parece aumentar os níveis de compostos benéficos no sangue e cortar os níveis dos compostos danosos.

A pesquisa foi encomendada por uma organização chamada Watercress Alliance (Aliança do Agrião) e publicada na revista Agrião e suas propriedadesAmerican Journal of Clinical Nutrition. Outros cientistas checam as pesquisas antes da publicação na revista.

Durante o estudo, 60 voluntários saudáveis, incluindo 30 fumantes, consumiram 85 gramas de agrião fresco todos os dias por oito semanas. Os pesquisadores fizeram exames antes e depois desta mudança na dieta. Eles descobriram que o dano ao DNA de glóbulos brancos teve uma diminuição de 22,9%. Estas células também foram capazes de se proteger melhor dos efeitos dos chamados radicais livres.

Quando amostras de células foram expostas a peróxido de hidrogênio, que gera grandes números de radicais livres, os níveis de danos foram 9,4% menores do que o esperado. Os níveis de compostos antioxidantes no sangue, como beta-caroteno e luteína, que podem combater os efeitos dos radicais livres, aumentaram. Por outro lado, os níveis de triglicérides, ou gorduras existentes no sangue e potencialmente prejudiciais, apresentaram um corte de 10%.

Agrião para fumantes

Agrião para fumantes

As mudanças benéficas foram maiores entre os fumantes – que tinham níveis de compostos antioxidantes significativamente mais baixos no início do estudo. Pesquisas anteriores sugeriram que aumentar o consumo de vegetais crucíferos como o agrião está ligado à redução do risco de vários tipos de câncer.

Mas o chefe da pesquisa, professor Ian Rowland, que atualmente está na Universidade de Reading, afirmou que a última pesquisa envolveu pessoas consumindo agrião em uma quantidade mais factível, ao invés de testes em laboratórios com o extrato do vegetal, como nos estudos anteriores. O dano ao DNA de células do sangue é um indicador do risco de câncer no corpo todo e os resultados dão a base para a teoria de que o consumo de agrião está ligado a uma redução total de risco de câncer em vários locais do corpo.

Mas Cuidado!

Seu uso interno em grandes quantidades pode provocar irritações na mucosa do estômago e nas vias urinárias.

Post Author: admin